13 inimigos da sua saúde

Dieta zero açúcar, jornadas intermináveis de exercícios, aquela amiga de quem guarda rancor... Esses e outros fatores podem colocar abaixo sua vitalidade

Descubra atitudes cotidianas que podem estar lhe fazendo mal
Foto: Getty Images

1. Pique demais
Estudos científicos recentes têm mostrado que praticar 30 minutos de exercícios diários melhora a atividade dos glóbulos brancos – os encarregados de combater vírus e bactérias. No entanto, isso não significa que, quanto mais ginástica fizer, melhor será para a sua saúde. Até os atletas olímpicos precisam de tempo para descansar. Caso contrário, o corpo passa a encarar a malhação como um fator de stress. A queda da função imunológica pode durar até três dias e ainda acaba com seu estoque de vitaminas. Sem falar que aumentam as chances de você ter lesões musculares e até depressão. A palavra de ordem é bom senso!

2. Celular
Esse aparelho pode carregar muita sujeira e, por isso, causar doenças. Colocar o telefone em lugares quentes, como o bolso da calça, ou segurá-lo entre o ombro e o rosto (que já possui gordura e bactérias suficientes) pode transformá-lo em um berço de cultivo de algo muito pior. A solução: lavar a face e as mãos frequentemente e jamais levar o acessório querido ao banheiro. Além disso, vale higienizá-lo de quando em quando com álcool.

3. Perfume
Você já sentiu um repentino ataque de náusea e espirros sem motivo? Pode ser sensibilidade às fragrâncias. Exposto a um odor muito forte, nosso corpo é capaz de responder até com enxaqueca. Estudiosos americanos analisaram o cheiro de produtos de limpeza aromatizados e descobriram que 98% deles continham ingredientes cuja segurança não havia sido testada e 76%, itens alergênicos. Um ambiente livre de fragrâncias é quase impossível. Mas não custa nada optar pelas versões sem perfume.

4. Maxibolsa
Sabia que a bolsa caríssima que voce carrega para lá e para cá pode guardar, além de suas chaves, gloss e carteira, uma comunidade de bactérias? Ao analisar dez delas, a equipe de microbiologia da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, identificou coliformes fecais geralmente encontrados no chão de banheiros. Como é possível? Quantas vezes leva sua amada consigo ao toalete? Melhor deixá-la na pia ou pendurá-la no gancho da porta. Jamais a coloque no piso, e muito menos sobre o vaso.

5. Pessimismo
Ver sempre o copo meio vazio não só pode arruinar sua vida social como também acabar com a sua saúde. Um estudo americano mediu a dor de pacientes com artrite. E descobriu que os pessimistas sofriam mais. Um dos motivos: com níveis baixos de endorfina, a sensação dolorida aumenta. Pessimismo crônico só se cura com ajuda médica. Mas, se o seu caso é apenas afastar uma nuvem negra, vale fixar metas pequenas para, depois de cumpri-las, poder reafirmar mentalmente que consegue mandar muitíssimo bem. Doses de pensamento positivo, que você atrai vendo um filme altoastral, também ajudam.

6. Solidão
Ela e a rejeição podem dificultar sua vida até na hora de espantar um resfriado. Um estudo da Universidade da Califórnia, aponta que o sistema imune das solitárias é mais frágil que o das que têm vida social intensa. Isso porque a sensação de isolamento interfere na produção dos leucócitos, que defendem o corpo contra vírus e bactérias. Para sair dessa, que tal fazer um esforço e conversar com os que fazem parte da sua rotina (incluindo o porteiro), manter contato com a sua família (mesmo com primas distantes) e sorrir para quem cruzar seu caminho?

7. Rancor
Um estudo revelou que ao reviver uma situação em que é magoada tem aumento da pressão arterial e dos batimentos cardíacos. “A raiva volta à tona cada vez que lembra o incidente e seu corpo responde produzindo cortisol, o hormônio do stress”, comenta o psicólogo americano Shelton Kartun. Segundo Bel Cesar, autora de O Livro das Emoções (Gaia), o organismo direciona a energia gerada pela emoção não trabalhada psicologicamente para o corpo. A solução é virar a página. Que tal escrever uma carta a quem a machucou? Você não precisa enviá-la. Quando terminar, rasgue-a como um sinal de ter deixado o rancor para trás.

8. Dieta zero açúcar
Comer doces em excesso não é bom, e eliminá-los da sua dieta tampouco. Por quê? Agir dessa forma radical mexe com um mecanismo básico do seu corpo. Estamos programados para desejar açúcar. Assim, ao violar essa programação, a mulher das cavernas que há dentro de você vai fazê-la sentir desejos incontroláveis. Uma saída é consumir a delícia em doses sensatas – no máximo de 10 a 20% das calorias totais do dia.

9. Um mau namorado
Está saindo com um cara que rende mais tristezas que alegrias? Continuar nessa relação esperando que o tal mude pode ser fatal. Aliás, manter-se em qualquer situação que a faça infeliz não só pode ocasionar traumas emocionais como também danos físicos.

10. Adiar
Você costuma deixar tudo para a semana seguinte? Pois esse hábito pode causar algo muito pior que atraso de vida. Um estudo canadense revelou que quem protela suas atividades diárias tende a fazer o mesmo com tratamentos médicos. E retardá-los ou fazê-los pela metade pode tornar uma doença mais séria, o que debilita o sistema imunológico e faz você mais suscetível a outros transtornos de saúde.

11. O computador
Considerando a quantidade de dedos que toca o teclado do seu computador (os seus, os do pessoal da limpeza), não é de surpreender que o departamento de infecções e epidemologia da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, tenha encontrado estafilococos (bactérias que produzem graves infecções) em todos os aparelhos.  Eliminar os germes do teclado não é difícil. Basta passar um pano com álcool todo dia para eliminar até 95% desses inimigos.

12. O micro-ondas
Como o forno do escritório não é limpo com frequência, fica povoado de bactérias. Estudiosos analisaram o material derramado do prato dele e descobriram microorganismos tão numerosos que não dava para contar! Para evitar esses perigos, melhor limpar o forno diariamente com água e sabão.

13. Brigas
As brigas debilitam seu corpo, dizem os experts. No momento da peleja, nosso corpo libera cortisol para nos ajudar a lidar com o perigo. O problema é que ele enfraquece as células imunológicas. Estudos também comprovaram que a pressão sanguínea se eleva mais nas mulheres do que nos homens, talvez porque passamos mais tempo remoendo o ocorrido. Melhor sugerir com calma o que gostaria que sua amiga fizesse da próxima vez. E, uma vez que o bate-boca termine, esqueça de verdade o ocorrido.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s