5 mentiras sexuais que estragam prazeres

Somos levadas a acreditar em mensagens eróticas que passam bem longe da verdade. E elas fazem com que a gente desperdice um bocado de prazer

Veja 5 mitos sexuais que são, literalmente, “estraga prazeres”
Foto: Getty Images

1. Para uma transa daquelas você precisa “estar no clima”

Digamos que você tenha passado um dia de cão e, ao chegar em casa, não se sinta sexy nem disposta a entrar no rala-e-rola. Seu querido, ao contrário, transborda desejo por todos os poros e faz de tudo para seduzi-la. Com o humor abaixo de zero, seu pensamento provavelmente será: “Sem estar no clima não dá”. Pois saiba que está redondamente enganada! O primeiro passo para combater essa falsa convicção é parar de duvidar do próprio poder de excitação. “Assim que seu namorado começar a acariciá-la, fantasie que está incrivelmente a fim”, sugere a sexóloga Darcy Luadzers. “Concentre-se nas sensações que seu corpo produz e verá como os apelos físicos passarão a se sobrepor aos obstáculos mentais”, assegura.

2. Vibrador vicia

Nada mais natural que variar as formas de se excitar. Por isso, você pode explorar o vibrador sem receio nem culpa. E, se associar o brinquedo a estímulos com os dedos e a boca, turbinará ainda mais as sensações eróticas. “A única maneira de se tornar dependente desse acessório é acreditar que só ele a levará ao orgasmo”, esclarece a terapeuta sexual Yvonne Fulbright. “Para garantir que não vai se condicionar a um único ritmo e intensidade, use o aparelhinho apenas de vez em quando, como parte do repertório da transa, e não como recurso para finalizá-la”, sugere. É que talvez demore mais para se excitar com a masturbação manual e o sexo oral se estiver muito acostumada à velocidade máxima do aparelho. Os sexólogos aconselham ainda experimentar vários níveis de vibração para encontrar aquele que produzirá o melhor efeito em você. Além disso, pense que o toque de seu querido continua sendo o prato principal da festa e o vibrador um acompanhamento para momentos especiais. Não vai ter nenhuma graça se ele vier sozinho, certo?

3. Papai e mamãe é puro tédio

Tudo bem que essa posição não esteja no topo da lista das mais selvagens, mas ela é uma das melhores em termos de benefícios. Segundo Darcy, além da intimidade que esse tipo de contato sexual proporciona, ele ajuda a amplificar suas sensações. “Como o homem faz a maior parte do serviço, você pode se entregar à experiência com luxúria em vez de se preocupar com a própria performance”, explica. Com alguns ajustes, a transa torna-se mais excitante. “Mantenha as pernas unidas para aumentar a fricção do pênis. Ou levante-as acima da cabeça, trazendo os joelhos próximo ao rosto, para permitir uma penetração profunda”, orienta Yvonne. Você pode ainda dizer palavras picantes no ouvido de seu amor ou colocar um espelho numa posição em que possam curtir o visual dos corpos juntos. “Usamos esse truque, e meu noivo disse que foi a melhor transa em meses por misturar romantismo com sacanagem”, relata Ana, de 22 anos.

4. É difícil ter orgasmo numa rapidinha

Nada de subestimar os poderes de uma boa pegada! “Você não precisa de uma transa de duas horas para ter um orgasmo – basta estar excitada”, diz Yvonne. Em geral, todo casal tem uma posição facilitadora, aquela que garante o clímax. Então, no lugar de diversificar os movimentos, se quiser chegar lá em minutos, pule direto para a técnica que melhor a estimula e a mantenha em um ritmo constante. “Se agir assim, não precisará de muito tempo para encontrar o que procura”, assegura a terapeuta. E, já que tocar, roçar o clitóris supre o cérebro de neurônios indutores do orgasmo, use e abuse desse, digamos, ativador de êxtases instantâneos.

5. O menino dele é frágil

A “mercadoria” é mesmo valiosa. Mas não tão vulnerável quanto imagina nossa vã filosofia. Mesmo que alguns rapazes sejam sensíveis nesse ponto, a maioria vai adorar que você segure o dito cujo com firmeza. “A reclamação mais freqüente é que as mulheres temem agarrá-lo ou sugá-lo com mais vigor”, diz Yvonne. Durante a masturbação ou o sexo oral, envolva o menino do lindo com as mãos e/ou a boca (tomando cuidado com os dentes) e não se esqueça de realizar movimentos para cima e para baixo. Só evite gestos muito bruscos e dobrá-lo demais na hora da penetração, porque aí, sim, existe o risco de machucar o gato. No momento do orgasmo, pode puxar gentilmente os testículos dele para baixo e conseguirá multiplicar as sensações. Se ficar na dúvida a respeito da intensidade favorita do rapaz, não se acanhe em perguntar. Assim, abre caminho para que seu querido retribua, interessando-se pelas suas preferências.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s