Leia um trecho erótico do livro “O Garoto de Aluguel”

Sem ideias para o final de semana quente com o boy? Temos a solução e ela se chama "O Garoto de Aluguel".

Chegamos ao terceiro andar, molhados e com a ansiedade corroendo, Greg abre a porta do seu apartamento e praticamente me joga para dentro. Sem ter tempo de piscar, Greg me ergue no colo e me prensa contra a parede fria da sua sala, e devora a minha boca.

 – Eu só quero você. – Sussurra enquanto seus lábios carnudos descem pelo meu pescoço até um dos meus ombros molhados.

 – Greg… – Respiro pesadamente ao sentir o toque de sua boca quente em minha pele.

 – Me deixa amar você, Ana. Esperei por esse dia por dois anos, assim como você. Não nos negue isso, dê uma chance ao nosso amor! – Suas palavras me fascinam, e todo autocontrole que eu tinha, se esvai como a chuva lá fora.

 – Então me ame! – Digo e ele fixa seus olhos azuis em meu rosto.

 – Eu já amo… há dois anos. – Encaro sua boca enquanto me diz isso, estou hipnotizada. E excitada.

  Greg me solta e uma dança de braços e desespero se inicia. A loucura e a paixão tomam conta de nós, nossas mãos tremem enquanto arrancamos as roupas um do outro. Estamos molhados e excitados, loucos um pelo outro.

  Quando fico apenas de calcinha e sutiã, Greg dá um passo para trás e sorri largamente. Seus olhos brilham como duas safiras azuis e eu posso sentir a adrenalina pulsar em minhas veias. É como se estivéssemos voltando dois anos, estou excitada e vulnerável.

 – Eu já te vi outras vezes assim… – Greg diz ao olhar cada parte do meu corpo. – Eu deveria estar acostumado, mas é impossível não se surpreender com o seu corpo, seu rosto, seu sorriso… – Passa a mão em meu rosto. – É impossível não te desejar cada dia mais.

Greg desliza o dedo indicador em minha boca, e depois desce lentamente pela minha pele. Aproxima-se novamente e encosta seu nariz em meu pescoço, inalando o meu cheiro demoradamente.

 – O seu cheiro é tão… bom. – Começa a deixar uma trilha de beijos até chegar a meus lábios, que já estão entreabertos esperando-o.  – Você é tudo que sonhei, e agora não te deixarei escapar. Nunca mais.

  Pulo em seu colo e nos beijamos apaixonadamente. Segundos depois Greg segue até seu quarto e me solta sobre sua cama. O quarto está escuro, exceto pelas luzes roxas, dos raios que rasgam o céu, e o único barulho que escutamos, é o da chuva lá fora e o de nossas respirações ofegantes.

  Greg abre uma das gavetas de sua cômoda e retira lá de dentro uma camisinha. Certo medo toma conta de mim, isso é algo que eu sempre desejei, mas achava que nunca viesse a acontecer. Tornamos-nos grandes amigos, daríamos a vida um pelo outro, e eu não queria perder isso. Será que conseguiríamos ser tão bons juntos, quanto somos enquanto amigos? Sinceramente eu não sei.

  Lentamente, Greg passa as mãos em minhas pernas, fazendo-me arrepiar. Suas mãos são quentes, grandes e fortes. Seu toque arranca de mim um gemido, um profundo suspiro vindo da alma. Ele sobe e desliza as mãos em minha barriga e braços, parece estar venerando cada pedacinho do meu corpo, e isso me deixa completamente entregue.

 – Eu nem acredito! Parece… um sonho. – Diz ao tocar o meu rosto.

 – Greg… – Greg fica de joelhos na cama, e mesmo na escuridão do quarto, percebo que ele está colocando a camisinha.

– Dois anos… – Greg diz ao se posicionar sobre mim. – Eu amo você, Ana! – Ele entra lento e profundamente em mim, solto um gemido ao sentir que ele é grande em todos os sentidos.

 – Ah! – Exclamo ao senti-lo por inteiro.

 – Admita. – Sussurra em meu ouvido.

 – O quê? – Pergunto ofegante.

 – Você pensou em mim em cada minuto desses dois anos. Quando se deitava com outro cara, era eu que você imaginava, era eu que você desejava que estivesse com você.

 – E eu me odiava por isso. – Admito e o encaro. – Pois eu só pensava em você… o tempo todo. – Greg sorri largamente e beija meus lábios, enquanto se move dentro de mim. Isso é muito bom.

 – Você é a única pessoa que me fez querer mudar de verdade. Deixar de ser o que sou e seguir em frente com dignidade, como outra pessoa qualquer. – Suas palavras me emocionam.

 – Eu amo você. – Sussurro e o abraço apertado.

  Greg abocanha um dos meus seios, e não para de se mover um segundo sequer. Cada vez mais o fogo vai crescendo entre nós, é amor e tesão, é carinho e desejo. Algo que momentos atrás, estava confuso e complicado, e agora, parece certo e normal.

  Momentos depois, chegamos ao ápice. Gritamos o nome um do outro e prometemos ficarmos juntos para sempre. Se isso vai acontecer, já é outra história.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s