Leia um trecho erótico do livro “O Lobo Solitário”

A fonte de ideias perfeita para deixar uma noite qualquer com o boy muuuuuuito mais quente!

— Me quer como sua companheira? — perguntou espantada.

— Você já é. E é o que deseja.

Ela empinou o nariz bonito para desafiá-lo, e ele sorriu pensando o que faria, que o negaria, mas ela sorriu para ele tão lindamente que ele se sentiu agraciado.

— Não vai negar, minha doce Grace?

Como poderia, ela estava tão fascinada que ele podia se transformar num elefante, que ainda o desejaria.

— Não vou negar, pois estaria mentindo. Podemos pensar em um namoro.

Namoro? Ela teria muito mais, mas ele explicaria melhor depois, estava muito inebriado somente pelo fato de ela não o temer, não o repudiar.

— Não tem medo de mim?

— Por que teria? Salvou-me dos lobos no bosque, salvou-me de homens bandidos, minha cabeça ainda está sobre o pescoço e não vejo nenhum sangue. Se quisesse me machucar, já o teria feito e eu… não posso negar que o desejo há muito tempo e o acho fascinante…

Ethan não resistiu a tal confissão e a puxou, trazendo-a para sua boca. Segurando os cabelos de sua nuca firmemente, dominando-a, deu-lhe um beijo longo e cheio de luxúria, que ela devolveu no mesmo nível.

Quando soltou de seus lábios, seu coração estava aquecido, seu corpo quente e implorando por mais.

Ela o aceitava, não tinha medo dele e o desejava.

Quão perfeito era isso?

— Agora eu vou te ensinar, fotógrafa, o que acontece quando você entra na toca do lobo solitário.

— O que acontece? — disse sem fôlego e apreensiva, enquanto ele tirava a taça de vinho de sua mão.

— Ele vai amá-la.

Antes que ela protestasse, ele a beijou, empurrando-a sobre as almofadas e o tapete peludo e cobriu seu corpo com o dele, fazendo sua respiração sumir.

Ele envolveu-a entre os braços fortes e tomou seu tempo para beijá-la de maneira lenta e profunda. Ethan devorou sua boca, quente e úmida, perfeitamente encaixada na dele, numa união ardente, tomando tudo dela.

Grace perdeu a noção de onde estava e do que os rodeava. Nada mais existia a não ser Ethan, ela, o beijo e o desejo percorrendo seu corpo.

Nunca conhecera nada parecido com isso. Sentia-se invencível. Que loucura era essa?

Estava totalmente nua, nos braços de um shifter de lobo, tão excitada como se estivesse caindo em um buraco cheio de luxúria, no entanto, estava com a sensação de que nada de ruim poderia tocá-la.

Nunca!

Ela sentia que ali era o seu lugar.

Piscando os olhos, entorpecidos pelo desejo, ainda em cima de Grace, Ethan a fitou.

Seu lobo saltava dentro dele, implorando que a reivindicasse, que a fizesse dele de uma vez. Era tão forte e poderoso que quase não conseguia controlar sua magia ou seu lobo.

— Vou te dar somente uma chance de dizer não, Grace. Depois disso, eu vou amar você e marcá-la como minha para sempre. Diga não agora, se quiser fugir.

Ele pousou sua mão enorme e forte sobre seu ventre, marcando ali, tão quente quanto fogo, que a fez arfar.

Sua mente estava enevoada, seu corpo exigindo mais dele. Ela não sabia o que estava acontecendo.

O não até chegou aos seus lábios, mas não saiu dali.

Ele rosnou, beijou seu pescoço e arrancou o cobertor e jogou a toalha para longe e ela gemeu quando seu corpo quente cobriu o dela, empurrando-a contra o chão.

Pele contra pele. Fogo puro.

Sua ereção estava forte e pulsante, ele esfregou em sua pélvis, fazendo-a ofegar e ao mesmo tempo tomou o mamilo na boca, sugando com força. Foi como se um raio atravessasse o corpo de Grace.

— Ethan… — ofegou.

— Ah, está vendo? Sabe meu nome, descarada. Não vai dizer não, Grace?

— Você… não está sendo justo, lobo.

— Estou sendo muito justo, estou te dando uma escolha.

Ela arfou quando ele acariciou seu clitóris com o dedo e entrou nela com o outro.

— Sinta isso, Grace… — Ele torturou-a com os dedos e deleitou-se em seu seio, mordendo sem feri-la, sugando para atiçá-la e enlouquecê-la, fazendo-a gemer e se contorcer sob ele. — Última chance para me negar, minha preciosa…

Ele desceu dando beijos pela sua barriga e antes que ela se desse conta, ele lambeu seu sexo, uma lambida longa e lenta e, quando chegou ao clitóris, ele o rodeou com a língua e chupou com força.

Grace gritou novamente, seu ventre contraiu e foi como se o fogo tomasse conta de seu corpo, queimando, sem dó e nem piedade.

Ele saboreou-a com gosto, como se fosse um manjar dos deuses. Perfeita e doce.

— Deliciosa e pronta pra mim… Venha pra mim, companheira. Quero sentir seu gozo, quero sentir quanto prazer sente quando estou contigo.

Ele se deleitou nela novamente e a fez explodir com o êxtase, a atacando como se fosse uma tempestade descontrolada.

— Oh, meu Deus! — ela gemeu, se contorcendo.

Ele rosnou pelo prazer, alto e forte, que retumbou pela sala quieta, que somente continha o barulho do fogo que crepitava e dos seus gemidos.

Ele pairou sobre ela com seus músculos torneados e seu tamanho descomunal de 1,98m de altura, poderoso como um deus, com seus olhos brilhantes e possessivos olhando para ela.

Ele esfregou sua ereção em sua vagina, sentindo-a escorregadia pela sua excitação, sondando, provocando e prolongando aquele momento de carícias deliciosas, sensuais, preparando-a para ele.

— Minha, minha companheira, eu te tomo, e a ti, juro lealdade e lhe darei todo o amor de meu coração. Hoje e sempre, nesta vida e na outra. Onde quer que nossas almas estejam.

Ele ainda pensou que ela mandaria que parasse, mas não o fez, então não seria tolo de esperar mais.

Grace arfou e jogou a cabeça para trás e soltou o ar num bufo, misturado com um gemido enquanto ele entrava nela profundamente, de uma só vez.

Então, rosnou quando seu sexo quente e que ainda pulsava pelo orgasmo o agarrou, apertado, quase o matando de tanto prazer.

Então, ele parou para sentir a sensação, para que ela se acostumasse com ele, com seu tamanho, pois não queria feri-la.

Ele agarrou seus pulsos e levou seus braços sobre a cabeça, prendendo suas mãos.

Olhou para ela fixamente e lambeu seus lábios, de forma depravada.

— Agora eu vou amar você, te darei tudo o que sou, e estarei marcado na sua pele e na sua alma, companheira, para sempre.

— Ethan… eu quero você.

— E me tem.

Ele beijou seus lábios, num beijo intenso, impedindo seu grito quando ele empurrou novamente até o fundo, e assim fez diversas vezes: lento no começo, depois mais rápido, arrancando cada vez mais gemidos desesperados dela, que se misturavam com os seus.

Oh, isso era o céu divino e ele queria tudo.

Em um minuto e sem protestos, ele a virou, deixando-a de bruços nas almofadas e erguendo seu quadril, penetrou-a novamente, fazendo-a arfar.

Depois ele beijou suas costas, seu ombro enquanto se movia.

Ela gritou quando pensou que estaria enlouquecendo, quando pensou que o prazer fosse demais.

Então, sentiu a dor em seu ombro e soube que sua vida estava mudando para sempre, porque Ethan, o lobo, a mordeu.

— Ahhh… Ethan… — disse ofegante, com um gemido desesperado, com um tanto de medo misturado ao prazer.

A mordida que somente dava uma dor no inicio, logo alagava todo o corpo com um intenso prazer, e isso impulsionou os dois ao orgasmo.

Grace gritou, sentindo seu corpo explodir fortemente, que sua visão escureceu.

Ele ergueu a cabeça, soltando seu ombro, com seus olhos cintilantes, suas presas alongadas e o sangue banhando sua boca.

Rosnou forte e alto, com muita dificuldade de respirar.

Ethan fechou os olhos por um minuto longo demais, enquanto sua semente quente a preenchia.

Aquilo tudo foi forte demais e fritou seu cérebro.

Nunca tinha sentido algo assim na vida.

Ele buscou na sua mente as palavras mágicas que deveria dizer e recitou em uma língua antiga e sagrada de seu povo, que a transformariam em loba, olhando para os olhos dela, nublados de prazer e um pouco de medo.

Sua magia foi liberada e dançou ao redor deles, sobre eles, dentro deles, e a sensação era de que o mundo estava girando, que suas almas estavam se cruzando e Grace não teve medo do que estava acontecendo, porque sua alma queria aquilo.

Então, ele a acalmou, sussurrando palavras doces em seu ouvido, com aquela voz maravilhosa que lhe causava arrepios e ela entendeu as novas palavras carinhosas que disse na sua língua:

— Você é minha loba agora, Grace. Minha para amar e cuidar para todo o sempre. Antes que o Samhain acabe, o ritual estará finalizado e você será como eu: minha loba.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s