Leia um trecho erótico do livro “O Presidente”

Se prepare para ter várias ideias que vão animar sua noite!

“Cassie respirou fundo, em um misto de emoções, sem saber nem mesmo como reagir, ela não tinha forças para tal no instante seguinte, quando sentiu os dedos ásperos de Harvey deslizando pelas pernas dela.

Ela já conhecia aquele toque, tinha sentido no dia anterior, dentro do carro presidencial.

Os dedos arrastavam-se deliciosamente pela pele de Cassie e ela se concentrava apenas em sentir o toque lento e torturante que Harvey fazia em suas pernas. Quando ele alcançou suas coxas, ela agarrou o lençol que forrava a cama, já começava a sentir a umidade no ponto entre suas pernas.

Harvey separou as pernas dela de forma carinhosa e exprimiu um som que fez o sangue de Cassie borbulhar, ela estava nua diante dele e naquele momento ele podia vislumbrar seu sexo de maneira crua, completamente aberta.

Harvey arranhou-lhe as coxas por cima e depois passou as unhas de forma menos intensa na parte de dentro e Cassie fechou os olhos quando ele alcançou sua virilha e começou a contorná-la com um dedo. Cassie sentia que poderia entrar em combustão a qualquer instante.

Ela arfou quando Harvey deslizou o dedo sobre os grandes lábios de seu sexo úmido e os separou ao passar o dedo por toda a extensão dele. Cassie jogou a cabeça para trás. Um gemido baixo saiu de seus lábios entreabertos e pareceu alcançar os ouvidos de Harvey, pois no momento seguinte ela sentiu seu dedo sobre o nó macio que lhe dava tanto prazer. Ele começou a massagear seu clitóris e fez Cassie se remexer sobre a cama.

O lençol branco deslizou até o seu ventre e Cassie o afastou, desejando ter uma visão completa do que Harvey fazia ali entre suas pernas. Encontrou os olhos enevoados dele, o desejo contido neles era tão profundo que Cassie acreditou que nunca pudesse ser plenamente saciado.

Ela deslizou seu corpo, recostando-se na cabeceira, Harvey ainda estava entre suas pernas acariciando seu sexo de forma vagarosa, que fazia com que Cassie ficasse ainda mais excitada. A posição que Cassie estava, fez com que ele se aproximasse ainda mais o rosto do que ele parecia querer tanto.

— Isso, querida. — Um sorriso sacana brincou nos lábios de Harvey e então Cassie sentiu o dedo dele deslizando até sua entrada, ele ficou brincando ali, fazendo Cassie se perder no prazer que sentia. — Relaxe e se entregue ao tesão que tem te consumido.

Ela fechou os olhos novamente e sentiu o seu corpo queimando por dentro e por fora quando o dedo de Harvey a penetrou, ao mesmo tempo em que a língua dele acariciava o clitóris. Os movimentos da língua dele eram algo fora do normal, ele estava lhe dando um oral tão perfeito que ela não queria nem imaginar como seriam todas as outras atividades sexuais com aquele homem.

Aliás, queria sim e queria mais, queria sentir todas elas.

E Harvey pareceu ouvi-la, pois no instante seguinte, parou de sugar o clitóris de Cassie e também os movimentos de seu dedo dentro dela. Ele ajoelhou-se na cama, então Cassie vislumbrou a coluna que se erguia dentro de sua calça social. Seu olhar possuído de desejo evidente foi percebido por Harvey que deu uma risada gostosa.

— Você gosta, não é? Safada. Sempre soube que era uma — Harvey disse e Cassie mordeu o lábio inferior ao ouvi-lo de forma tão carregada de puro desejo.

— Por que não fala menos e age mais? — Cassie falou ao se ajoelhar, esquecendo qualquer resquício de pudor e levou a mão até o cinto, abrindo-o. Logo depois abriu o zíper lentamente enquanto Harvey a olhava hipnotizado.

— Só por essa má resposta, eu vou escolher a posição que quero te foder — ele falou autoritário, segurando-a pelo pelos cabelos antes de virá-la. Cassie entendeu e curvou seu corpo, apoiando os cotovelos no colchão e empinando sua bunda o máximo que podia e ouviu Harvey arfando atrás de si, o que causou certo rebuliço em seu interior. Ela necessitava que ele estivesse dentro dela no momento seguinte, era a única coisa que teve certeza naquele instante.

Ela o ouviu rasgando um pacote do preservativo e alguns segundos depois um tapa estalado foi dado em sua bunda, fazendo com que ela se remexesse. Ela não sentia dor, mas sim o prazer consumindo-a por completo.

— Você precisa aprender a se comportar, Cassie. — Outro tapa estalado soou alto, e Cassie soltou um gemido abafado pelo travesseiro. A ponta do membro ereto de Harvey raspou na entrada de seu sexo completamente molhado e ela se remexeu. — Sente o castigo? Responde, Campbell.

— Sim — ela respondeu com a voz esganiçada.

— Acha que merece isso?

— Por favor — Cassie suplicou, rebolando em busca do que tanto ansiava.

Harvey penetrou Cassie vagarosamente, até atingir o máximo que podia e então retirou seu membro por completo de Cassie, arrancando dela uma reprovação que saiu em forma de gemido e ele riu, antes de penetrar novamente, dessa vez manteve o ritmo das estocadas.

Alternando a velocidade vez ou outra, provocando-a o máximo que podia. Enquanto ele repetia o ato, Cassie soltava seus gemidos que não podiam mais ser contidos e que se fodessem todos que pudessem ouvi-los.

Sentir o quadril de Harvey chocando-se fortemente contra seu corpo cada vez que ele estocava seu membro dentro de si, era fora do normal e a fazia se remexer. Harvey repetia o ato cada vez com mais intensidade e vez ou outra, Cassie vislumbrava um sorriso cheio de luxúria no rosto dele.

Ela o entendia.

Naquele momento, ele possuía completo poder sobre si mesmo e Cassie abandonara o poder que tinha sob seu próprio corpo enquanto deixava o prazer dominar-lhe inteira. Seus gemidos, os arrepios, as contrações involuntárias de seu corpo. Tudo guiado pelo prazer das sensações que sentia naquele momento.

— Você não imagina como desejei estar dentro de você — Harvey falou, a voz embaçada pelo tesão fora do normal. Ele arranhou sua cintura, apertando-a com uma de suas mãos, a outra foi para seus cabelos, que ele puxou enquanto estocava cada vez com mais força. — Você é tão gostosa que eu perco o controle sobre mim mesmo — ele assumiu e então foi o limite para Cassie.

Os espasmos de prazer atravessaram-lhe o corpo de uma forma tão intensa, que ela não pôde mais se conter, seus músculos se enrijeceram, então logo depois os sentiu relaxando quando a adrenalina liberada pelo delicioso orgasmo se apossou de seu sistema.

Ao sair de dentro de Cassie, Harvey beijou-lhe as costas nuas e suadas, antes de permitir que o corpo dela se encontrasse com os lençóis macios dispostos e embolados sobre a cama de olhos fechados.”

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s