Paquera virtual é traição?

A internet abala muito romance real. NOVA ajuda você a refletir sobre as 10 questões mais frequentes do mundo virtual. Veja como agir nesse mundo paralelo

A internet pode inteferir muito no seu relacionamento: cuidado
Foto: Getty Images

Se você já viveu dilemas no relacionamento gerados por um clique no mouse, conhece bem seus efeitos reais. O medo de ser traída bate mais forte, já que ele pode conhecer outra sem sair de casa! O pudor de investigar a vida do amado perde o sentido, pois não há pecado em entrar na rede social dele, bisbilhotar a caixa postal… Ou há? Experts em web discutem limites, dão parâmetros e ajudam a lidar com as 10 principais questões que a era digital trouxe para os casais.

1. Descobri a senha do e-mail dele, abri a caixa postal e encontrei mensagens carinhosas trocadas com várias mulheres. O que faço?

“Isso é uma invasão de privacidade igual a ler cartas ou mensagens no celular só por achar que, entre dois apaixonados, não deve haver segredos”, avisa a psicóloga Márcia Homem de Mello, especialista em questões do mundo online. “Infelizmente, você não está em posição de tirar satisfação, uma vez que sua postura foi errada. É preciso entender que ninguém fala tudo para ninguém. Quando quiser saber sobre as atitudes suspeitas dele, converse a respeito em vez de agir na surdina”, sugere.

2. Meu namorado está viciado em internet. Como lido com isso?

“Estar plugado na internet é uma experiência que fascina muita gente”, fala o Ph.D. Gregory Jantz, da clínica americana de tratamento para dependentes A Place of Hope (Um lugar de esperança). “Quem passa tempo demais online precisa procurar outras atividades igualmente atraentes, como descobrir um hobby, fazer uma viagem inusitada. Agora, se seu namorado considerar mais interessante ficar na frente do computador do que aproveitar sua companhia, talvez seja hora de encontrar outro companheiro.

3. “Os amigos enchem a caixa postal dele com fotos de mulher pelada. Como acabo com a brincadeira?

“Não está em suas mãos controlar as ações do seu amado e muito menos as dos amigos”, acredita a psicóloga Juliana Zacharias, do Núcleo de Pesquisa da Psicologia em Informática da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e uma das autoras do livro Relacionamentos na Era Digital (Giz Editorial). “O que dá para fazer é falar com ele sobre o que a incomoda. Vocês precisam encontrar juntos os limites da relação, tendo em mente que ambos terão que ceder. É como negociar o futebol de domingo, a happy hour com o pessoal do escritório. Pergunte até que ponto é imprescindível cultivar esse hábito e também veja quanto está disposta a tolerar.

4. “Na página da rede social do meu noivo, encontrei recados de “amigas” do passado. Como mostrar que ele é comprometido?

“A pergunta crucial é: ele informa que tem compromisso?”, questiona a professora titular Elizabeth Saad, da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. “Se a resposta for positiva, o problema não está no perfil dele, e sim na ousadia das outras garotas. A rede social é um retrato da vida real. Já pensou que, assim como ele é abordado online, também pode ser assediado no supermercado? Por isso, melhor ter jogo de cintura. Que tal deixar declarações de amor para ele? Um simples ‘Eu te amo’ registrado no scrapbook pode frear as mais saidinhas.”

5. “Converso todos os dias com um ex-caso. Como namoro, quero ficar só na paquerinha virtual. É errado?

“Os dois já viveram uma história, se envolveram e se relacionaram em carne e osso. Então, ela não é tão virtual quanto diz”, analisa Yvette Piha Lehman, psicóloga da Universidade de São Paulo. “Ao que parece, você quer manter viva a importância que teve para ele. Errado não é. Mas precisa descobrir por que acha relevante alimentar essa chama. Será medo de morrer na cabeça do outro? Pode ser que com isso evite a dor do amor, da perda. Mas como fica seu romance atual?”

6. Descobri que meu namorado tem uma namorada em um jogo virtual. Ele diz que é só um jogo. Encaro isso como uma traição?

“Jogos virtuais permitem que você assuma diferentes personagens”, explica Elizabeth. “Portanto, não reflete ali exatamente a sua personalidade. Inventa outro nível de relacionamento, em um espaço fantasioso.” Dentro desse cenário e do conjunto de identidades que só existem na tela, não dá para falar em traição. Afinal, a namorada dele também não é real. “Importa, nessa história, saber por que ele sente necessidade de viver experiências em um universo irreal”, sugere a expert.

7. Conversei no MSN com um cara casado. Só penso nele e estou com medo de prejudicar meu noivado. O que faço?

“Muitas vezes o que acontece nesses encontros virtuais é que eles têm uma carga de idealização muito forte”, avisa Juliana. “Nos apaixonamos por aquilo que imaginamos que o outro seja. Para sair do mundo da fantasia, uma das soluções pode ser conhecer esse homem pessoalmente e encarar não só as qualidades mas também os defeitos dele. Outra atitude é tentar entender o que está faltando na relação com seu noivo. Certamente algo não vai bem. Ou você não se interessaria por um terceiro”, completa a psicóloga.

8. Meu namorado tem mania de entrar em sites pornográficos. O que faço para impedi-lo?

“O hábito de entrar em sites pornográficos pode virar problema dos grandes quando mal dosado e até se tornar um vício”, esclarece o dr. Jantz. “O mais apropriado seria conversar com seu namorado sobre a sua insatisfação. Mas apenas ele pode escolher parar. Não há como impedi-lo de visitar essas páginas. Se ouvir que a diversão vai continuar, restará decidir se vale a pena estar com um homem que alimenta esse tipo de comportamento.”

9. Uma amiga do meu amor deixa recados em sua página social. Eu não gosto, estou errada?

“Você confia no seu namorado ou naquilo que a garota deixou?”, questiona Márcia. “A resposta vai servir de base para o seu relacionamento. Se um testemunho dela é mais forte do que a sua crença na relação, está na hora de reavaliar seus sentimentos. Quem é ciumenta vê atitudes suspeitas em qualquer gesto do companheiro. O fato de uma amiga escrever para o seu namorado não significa que ele tenha dado liberdade para tal atitude.”

10. Controlo o computador e o celular do meu gato para ver com quem ele conversa. Estou paranoica?

“A insegurança aumenta quando gostamos de alguém”, comenta Juliana. “Essa pulga atrás da orelha sempre existiu. Acontece que, com a internet, ficou mais fácil bisbilhotar a vida alheia em busca de respostas para dúvidas do tipo ‘Ele é fiel?’ Agora, ainda que o mundo online dê ferramentas para você ficar informada, há aspectos de seu homem que nunca irá conhecer”, conclui a psicóloga.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s