Transforme seu paquera em namorado firme

Saiba como agir para que os homens te levem a sério e fiquem loucos para namorar você!

A premissa para encontrar um namorado nota mil é estar bem consigo mesma
Foto: Getty Images

Os anos passam e você ainda não conseguiu realizar o desejo de ter um amor pra chamar de seu? Qual é o drama? Seus ficantes não se decidem? Faltam homens interessantes na praça? Ou precisa turbinar suas táticas de conquista?

Conheça os segredos das mulheres que estão sempre namorando, os conselhos dos psicólogos e, claro, a opinião dos homens sobre mulheres incríveis!

Tome chá de autoconfiança

O ponto de partida é uma reunião bem íntima. Vamos ter uma conversa de mulher para mulher. É o momento de fazer uma auto-avaliação e saber se está se amando o suficiente para poder ser amada ou virou a encarnação da coitadinha-que-ninguém-quer. 

Para isso, pense em como vem levando a vida sem namorado. Cuida bem de si mesma física e emocionalmente? Se acha uma mulher interessante? Tem amigas? Consegue sair para se divertir ou precisa estar acompanhada de um homem, não importando se ele só serve de figuração? 

Faça uma lista de tudo o que tem feito por você – de cursos a amizades, de viagens a novos projetos no trabalho -, pois a premissa para encontrar um namorado (nota mil, que fique claro!) é estar feliz consigo mesma. ”O desenvolvimento pessoal eleva a auto-estima”, diz a psicoterapeuta Teresa Bonumá. ”A mulher que se gosta dificilmente não encontra a cara-metade. E mais: ela se sente merecedora de um companheiro à sua altura”, completa. 

A publicitária Fernanda Oliveira, de 29 anos, sabe o que é isso: ”Só namorava caras que eram pouco para mim, mas eu insistia e a relação não durava mais que dois meses. No fundo, me achava pouco para alguém especial me querer. Com a auto-estima no pé, me inscrevi num curso de teatro, aluguei casa na praia, comecei a fazer pilates. Até esqueci que queria tanto namorar. Aí, o João apareceu e estamos juntos há um ano”.

Fernanda tocou num ponto essencial: se você curtir a vida de solteira que leva, ficará menos vulnerável a uma armadilha perigosa, a de transformar a busca pelo namorado em idéia fixa. Não sairá desesperada à caça de qualquer espécime do sexo masculino disponível e estará cada vez mais perto de encontrar seu par. Saiba que os homens valorizam garotas autoconfiantes. ”Gosto da Lu porque ela tem atitude”, declara-se Maurício Salles, de 27 anos, engenheiro. ”Bota fé no próprio taco, se garante, e isso é ótimo. Não suportaria viver ao lado de uma mulher insegura, que tivesse medo de me perder.”

Lembre-se: há homem além da balada

Onde está buscando o gato dos seus sonhos? Será que é só na noite? Ok, nada a impede de conhecer o seu maravilhoso numa boate. Mas não é novidade nenhuma que boa parte dos homens põe os pés lá querendo azaração, diversão do tipo fast food. Ou porque não estão a fim de compromisso ou porque não esperam encontrar uma princesa para namorar num agito noturno. 

”A mulherada está atacando na balada”, comenta Márcio Santos, de 28 anos, comerciante. ”Então, fico com o pé atrás nas danceterias. Não por acaso conheci as duas garotas que namorei por outros meios: uma é irmã de um amigo e a outra, amiga de uma conhecida minha.” 

Para neutralizar más impressões como a de Márcio, Luciana Galucci, de 24 anos, age assim: ”Converso a noite inteira, mas nada de beijo na boca. Prefiro esperar que ele ligue… Deixo claro que não sou menininha de balada”. A tática parece funcionar, afinal ela namora há um ano e 11 meses e não fica sem par desde os 16.

Se você já se pegou mais de uma vez na semana dizendo ”É hoje que arrumo um namorado”, iniba esse mantra. Vá ao barzinho ou à danceteria com a expectativa principal de se divertir na companhia dos amigos, e não de cruzar o príncipe encantado. Também amplie suas opções de entretenimento. Quem sabe não encontra seu Rodrigo Santoro na locadora, enquanto escolhe um DVD? Vale ligar o radar na escola de espanhol, na praia, na academia e, por que não, analisar com mais atenção a sua roda de amigos. 

Foi o que fez a produtora de moda Patrícia Leme, de 26 anos. ”Queria muito namorar e os meus ficantes nas raves não me levavam a sério. Até que, seis meses atrás, dei uma chance ao meu amigo. O homem da minha vida estava mais próximo do que eu imaginava.”

Garanta o day after no primeiro encontro

Assim que conhecer seu candidato a namorado firme e combinarem algum programa só os dois, procure causar aquele efeito ”olhou, gamou” de três formas, com base em teorias clássicas sobre a mente masculina:

– Deixe-o na vontade
A gente sabe que você não quer um namorado com a mentalidade machista: ”Moça que vai para a cama logo no primeiro encontro não é para namorar”. Sabe também que você tem todo o direito de se divertir com o corpão dele. Mesmo assim, prefira não transar na primeira noite. Olha o que diz a pesquisa ”Que garota você prefere namorar?”, feita com 1297 leitores da revista Playboy: 46,15% optam pela que transa depois de alguns encontros; 31,09% pela que só topa fazer sexo depois que o namoro é oficializado; e apenas 22,76% pela que vai para a cama no primeiro encontro. Explica-se. ”O raciocínio deles é: ‘Agiu dessa forma comigo, fará o mesmo com outros’”, diz o sexólogo Marcos Ribeiro. O homem quer acreditar que é o único. Então, por garantia, dê uns beijos que façam o bonitão perder o rumo e se segure.

– Dê o seu telefone a ele
E livre-se do martírio do ”ligo ou não ligo”. Coloque na cabeça: se ele achou você o máximo e ficar com saudade, vai telefonar. Segundo Ulisses Tavares, autor de O Guia do Homem (Geração Editorial), quando um rapaz realmente gosta de uma garota, corre atrás. É isso o que diferencia os encontros sem compromisso de uma intenção de namoro. Então, segure a ansiedade por uma semana. Depois, reze -ou esqueça. Pelo jeito, o cara não está a fim.

– Seja autêntica
Mostre que é uma mulher de verdade, com defeitos e qualidades, não uma bonequinha programada à beira da perfeição (já percebeu que muitas garotas certinhas demais vivem sozinhas?). O pulo-da-gata é curtir o primeiro encontro de uma forma descontraída, sem se preocupar apenas em impressionar. Deu um fora? Assuma, ria de si mesma. E se perceber que ele é o cara mande seu recado: diga que gostaria de reencontrá-lo. ”Falo o que sinto e não tenho medo de tomar um fora”, assume Paula Finotti, de 26 anos, que já perdeu a conta de quantos namorados teve e está com o atual há dois anos e meio. ”Faço o que meu coração manda.”

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s