Esta mulher é alérgica ao próprio marido e a história é comovente

Eles não podem se beijar ou, até mesmo, ficarem no mesmo cômodo.

Quando falamos sobre alergia, em um âmbito geral, a conversa sempre é levada para comidas ou picada de insetos. Porém, você talvez nunca tenha pensado na possibilidade de um indivíduo ser alérgico a outro, ainda mais quando esses são casados.

De acordo com a BBC, esse é o caso de Johanna Walkins. Ela é alérgica ao próprio marido, Scott, e isso a impede de beijá-lo ou, até mesmo, ficar na mesma sala que ele, durante um ano. Johanna, que vive em Minessota, nos Estados Unidos, sofre de um caso raro de uma desordem rara chamada Síndrome de Ativação dos Mastócitos, que enfraquece o sistema imunológico, o que significa que ela não consegue tolerar contato com a maioria das coisas – sendo o cheiro do seu marido uma delas.

Se ela entrar em contato com qualquer objeto estranho, as células que deveriam protegê-la realmente acabam atacando seu próprio corpo, e ela pode entrar em um choque anafilático que poderia causar sua morte.

 

Johanna Watkins e o marido

(Reprodução/Cosmopolitan)

 

Como resultado disso, Johanna é forçada a viver em um ambiente completamente isolado. Ela atualmente reside em um sótão totalmente fechado na parte de cima da sua casa, com filtros de ar purificando o oxigênio que ela respira.

Embora a desordem torne a vida difícil, Johanna e Scott aprenderam a se adaptar à situação. Em vez de assistir um filme em conjunto, o que eles não conseguem fazer por causa da condição de Johanna, ela assiste em uma sala enquanto Scott vê o mesmo filme em outro cômodo, três andares abaixo.

Mas vale reforçar que a vida de Johanna nem sempre foi assim. Antes dessa desordem se tornar tão grave, ela estava trabalhando como professora. Embora sofresse de síndrome do intestino irritável, enxaquecas e erupções cutâneas ocasionais, ela não estava ciente de que suas condições de saúde poderiam levar a algo tão inibidor. Scott lembra como anteriormente, se ele se aproximasse dela, Johanna logo começava a tossir.

No ano passado, no entanto, os sintomas começaram a piorar sempre que seu marido entrava no quarto, e ela começou a entrar em choque anafilático sempre que ele estava perto dela. Foi a partir disso que o casal percebeu que suas vidas teriam que mudar drasticamente.

 

Johanna Watkins e o marido

(Reprodução/Cosmopolitan)

 

Até agora, os médicos não descobriram nenhum tratamento que funcione efetivamente, mas o casal permanece otimista e não deixa suas circunstâncias incomuns atrapalharem o fato de se amarem.

“No dia do casamento fizemos votos um ao outro que até a morte nos separe. Não importa o que a vida trouxe”, disse Johanna. “Posso dizer-lhe que, mesmo que eu tenha isso até eu ter 90 anos, eu estarei comprometida com meu marido com esse voto e ainda o amarei.”

 

Fonte: Cosmopolitan EUA

 

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s