Como William e Harry estão honrando o legado deixado por Lady Di

Ambos os príncipes seguiram os passos deixados pela mãe.

Lady Di se envolveu com mais de 100 instituições de caridade ao longo da vida. E, mesmo depois do divórcio com Príncipe Charles, quando ela poderia ter ficado um tempo reclusa, ela continuou a desempenhar o mesmo papel até o acidente trágico que tirou a sua vida, em 1997.

Nos últimos anos, os príncipes William e Harry falaram muito sobre a presença da mãe deles em sua vida e abriram o jogo sobre o luto; além, é claro, da influencia que ela exerceu para incentivá-los a fazer trabalhos filantrópicos. Abaixo você saberá como eles estão honrando o legado deixado por ela:

 

Trabalhos na África

Tanto William, como Harry, apoiam organizações de caridade na África. O Príncipe Harry passa muito tempo por lá e desempenha um papel importante para a população que sofre com a pobreza extrema e a fragilidade da infecção pelo vírus do HIV.

Já o Prince William é patrono da “Tusk Trust”, que ajuda a proteger os esforços de conservação da vida selvagem em toda a África. Antes de sua morte, Diana era patrono do Orfanato de Vida Selvagem Chipangali no Zimbábue, que resgatava e cuidava de animais selvagens órfãos, feridos e abandonados.

 

Príncipe William na África

(Reprodução/Cosmopolitan)

Príncipe Harry na África

(Reprodução/Cosmopolitan)

 

Fim do estigma ao redor do HIV/AIDS

Foi apoiando causas que prestavam apoio à pessoas com HIV e a AIDS que a princesa Diana deixou sua marca. Na década de 1980, em um momento em que havia uma má informação generalizada, medo e estigma em torno da doença relativamente nova, Diana foi fotografada abraçando, apertando as mãos e sentando com pessoas morrendo em consequência do vírus.

O príncipe Harry também continuou ativamente a combater o estigma através do seu trabalho com o Terrence Higgins Trust. No ano passado, ele realizou um teste de HIV no hospital St. Thomas em Londres, ao vivo no Facebook, para combater os tabus. A caridade o elogiou por “normalizar o teste do HIV para uma audiência global” e inspirar “uma geração a assumir o controle de sua saúde sexual”.

 

Lady Di com portadores do HIV

(Reprodução/Cosmopolitan)

Príncipe Harry na África

(Reprodução/Cosmopolitan)

 

Falar abertamente sobre a saúde mental

Em 1995, a princesa Diana participou de uma entrevista bastante honesta com à BBC, onde disse que sofreu de depressão pós-parto após ter dado à luz William.

“Você acorda pela manhã sentindo que não quer sair da cama. Você se sente incompreendida, e apenas muito, muito para baixo”, contou ela na ocasião.

Foi notável e inspirador que uma das mulheres mais famosas do mundo ajudasse a quebrar o tabu. Ela disse ao entrevistador, Martin Bashir que estava ciente de que, a partir do momento que se abrisse sobre sua doença  ela teria um  “novo rótulo” de ser “instável e mentalmente desequilibrada”.

Recentemente, o príncipe Harry, William e Kate Middleton co-fundaram a campanha dos para falar abertamente sobre a saúde mental. O príncipe Harry também revelou as lutas que ele teve com sua própria saúde mental, dizendo que buscou terapia depois de guardar anos de tristeza sobre a morte de sua mãe, em uma entrevista com The Telegraph. Ele foi louvado por especialistas em saúde mental pela admissão sincera.

 

Lady Di dando entrevista à BBC

(Reprodução/Cosmopolitan)

Príncipe William, Kate Middleton e Príncipe Harry

(Reprodução/Cosmopolitan)

 

Apoio para crianças carentes

Outra área em que Diana dedicou seu tempo foi com crianças carentes. Ela era a presidente da instituição de caridade Barnardo, cujos serviços incluem aconselhar crianças abusadas e apoiar crianças vítimas de violência doméstica, de 1984 a 1986.

Este mês, o Príncipe Harry marcou presença em um evento para comemorar 40 anos de WellChild – uma instituição de caridade que apóia crianças doentes, a qual ele é patrono.

 

Lady Di com crianças carentes

(Reprodução/Cosmopolitan)

Principe Harry com crianças carentes

(Reprodução/Cosmopolitan)

 

Compartilhar o luto para ajudar outras pessoas

Assim como Príncipe Harry deu entrevistas sobre como lidou com o sofrimento de sua mãe, Príncipe William também usou, no melhor sentido que a palavra agrega, o fato de perder a mãe em uma idade tão jovem para apoiar outras crianças que passaram por uma situação semelhante. Como patrono do Child Bereavement UK, William falou sobre o sofrimento como “a experiência mais dolorosa que qualquer criança ou adulto pode suportar”.

 

Príncipe William falando sobre luto

(Reprodução/Cosmopolitan)

 

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s