Chega, paciência tem limite!

Haja paciência! Namorado que foge de papo sério, amiga que enche seus ouvidos de lamúrias, colega de trabalho que faz de tudo para sabotar a sua boa ideia. É hora de dar um fim nisso!

Ter paciência é uma coisa, tentar agradar a todos é outra: se imponha
Foto: Getty Images

Há momentos em que a única solução é se impor. E, nessas horas, É preciso combater essa mania feminina de contentar a todos o tempo todo. “Faz parte da nossa natureza procurar manter o bem-estar dos outros”, explica a psicóloga Susan Newman, autora do livro The Book of No (O livro do não). O problema é que pode sufocar as próprias vontades ou até permitir que a façam de boba. Aqui, 9 situações em que tem passe livre para fazer valer os seus direitos.

Dizer “não” a um favor irritante

É claro que poderia levar seu irmão ao aeroporto. Só um detalhe: você não quer, não pode ou os dois ao mesmo tempo. “É fácil dizer ‘sim’ e, lá no fundo, ficar torcendo para o rapaz arranjar outra carona”, observa Susan. Mas isso dificilmente acontecerá e você acabará tendo de levá-lo a contragosto. De repente, perceberá que o favor se tornou obrigação. Como dizer não? Ao receber um pedido desses, pode folhear a agenda e responder: “Infelizmente eu estou sem tempo”. Quanto menos tentar se explicar, menos ele vai argumentar ou insistir. E você se surpreenderá com a velocidade com que seu irmão dirá “Tudo bem” e ligará para um amigo.

Bater o pé por seus direitos

A blusa nova encolheu na máquina de lavar, seu cabeleireiro colocou três clientes na sua frente, o voo atrasou horas e mais horas. Exigir que seu dinheiro valha a pena não significa passar recibo de antipática. Decida qual compensação deseja (um crédito de compra na loja, um corte gratuito de cabelo…) e vá pessoalmente conversar com o responsável logo após o incidente. Mas tome o cuidado de se mostrar irredutível. Se receber uma resposta inútil, como “Esta não é a política da empresa”, pergunte “Então, quem pode realmente me ajudar?”Mantenha a calma a qualquer custo. Se explodir, perderá a razão. E mais: segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), se o avião demorar quatro horas ou mais para partir, você pode exigir ser transportada em outro vôo (até por uma companhia diferente com assentos vagos). E pedir reembolso da passagem se o serviço contratado não for devidamente prestado.

Ser dura com a amiga reclamona

Nas noventa vezes em que escuta as lamentações, você se solidariza com as dificuldades dela no namoro ou para saldar as dívidas no banco… Mas, espera lá, você tem permissão para mostrar que a amiga passou dos limites, dizendo algo como “Nossa, estamos sempre discutindo isso, só que nada melhora, talvez seja melhor você procurar ajuda de algum especialista”. Daí sugira que fale com um psicólogo ou especialista em finanças. “Talvez sinta que está sendo um pouco grossa, mas não ligue para isso”, aconselha a cientista social Carolyn Perla. “Ser firme é uma forma de fazer com que ela se esforce para mudar de verdade.”

Insistir na DR com o namorado

Não há nada mais irritante do que dizer que precisam discutir a relação e o Sr. Despreocupado não dar a menor importância, não é mesmo? Muitas mulheres tentam contornar as situações negativas no namoro sorrindo. Ok, a atitude diminui a tensão, mas leva o gato a pensar que a raiva já passou. Em vez de deixar para lá, melhor manter a expressão séria e não ter pudor de pressioná-lo um pouco mais. Que tal falar algo como “Isso está me incomodando mesmo, porque…”? Pode apostar: será ouvida do início ao fim.

Recusar-se a ser plano B dos outros

Sua amiga convida você para ir a um barzinho sábado à noite, mas só depois de saber que o namorado dela e o resto da turma estarão ocupados. Se fingir não perceber que é a última opção dela, vai se sentir com a autoestima abalada e, pior, alimentar rancor e vontade de dar o troco. Em vez de agir como se estivesse satisfeitíssima em ocupar o banco de reservas, faz um favor a si mesma lançando um “Não posso, tenho outro compromisso, talvez na semana que vem”. A fulana dará mais valor à sua amizade se perceber que você não vive à disposição dela.

Tomar posse das suas ideias

Um colega de trabalho aparece com uma sugestão que, na verdade, foi sua. E você, instintivamente, conta até 10 e dá um sorriso amarelo. É seu direito não deixar barato. Uma boa resposta: “Nossa! É muito bom saber que você gostou da ideia que tive em nossa conversa hoje de manhã. Falando nela…”. Dessa forma, colocará o aproveitador em seu devido lugar e passará o recado com elegância.

Cortar as asas de garotas maldosas

Um grupinho de víboras fofoca e acaba falando absurdos de uma amiga sua. Numa situação dessas, você nem quer se juntar a elas nem engatar um discurso sobre lealdade. Como agir? Abra um interrogatório, com a intenção de pressionar as línguas felinas a se justificarem. Perguntas possíveis: “Ah, então quer dizer que ela fez isso? Quem contou a vocês? Tem certeza de que é verdade?”… Muito provavelmente elas reconhecerão que suas críticas são infundadas e calarão a boca.

Dar um “se liga” em uma folgada

Aquele vestido lindo que você emprestou à sua prima volta com uma mancha. Uma saída seria simplesmente mandar para a lavanderia, sem reclamar, em nome da amizade. Mas, convenhamos, ela deveria ter resolvido o problema e entregado a roupa intacta. A psicóloga Susan Newman orienta: “Sem fazer alarde, comente que, provavelmente, ela não deve ter reparado na mancha. Em seguida, diga quanto vai custar para lavar”. E ponto final.

Parar de pedir desculpas

Para evitar ser excluída, sempre fala “Me desculpe, mas eu…”. “Mulheres temem ser rejeitadas pelo grupo”, explica Susan. Não mais. O excesso de “Me desculpe” faz com que pareça (e se sinta) fraca, inadequada. Guarde o mea-culpa para quando realmente fizer uma besteira.

Questão de classe – Veja como se colocar sem descer do salto:

“Com licença, eu estava na sua frente. Então, acho que é a minha vez de ser atendida.”

“Sei que você se importa comigo e não percebe que está me magoando, mas preciso que me trate com respeito em vez de apenas dizer que estou certa.”

“Vim a este restaurante porque ouvi maravilhas a respeito do serviço. Por isso, estou realmente surpresa com esse atendimento decepcionante. O que o senhor pode fazer para corrigir o problema?”

“Sei que você deve ter um forte motivo para atrasar a entrega do meu sofá, mas eu mereço uma explicação.”

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s