Você detona a sua imagem no trabalho?

Não deixe que algumas atitudes com alto potencial corrosivo, como chorar ou tropeçar nas palavras, sabotem sua carreira.

Deslizes no trabalho acontecem, mas cuidado para não queimar seu filme
Foto: Getty Images

Na reunião mensal de departamento, você se levanta para ler um relatório e, de repente, é como se alguém tivesse acionado a tecla “disparar” do seu coração. Atrapalhada, tropeça nas palavras, balbucia alguns números e, num instante, está mais vermelha do que um camarão. O medo desmedido do palco é um sério obstáculo para a credibilidade – com potencial para sabotar sua carreira, minar sua autoridade e acabar com suas chances de subir.

De acordo com os especialistas, pelo menos 50% da credibilidade no trabalho vem da imagem que você oferece aos outros. O que quer dizer que parecer capaz de fazer um trabalho é quase tão importante como ser realmente capaz. Para aumentar suas chances de sucesso, veja aqui quais são os maiores detonadores da imagem – e de que forma você pode superar um deslize, como fizeram as três executivas que dão seu depoimento na reportagem.

Ficar roxa de vergonha

Embora às vezes até cause boa impressão, de meiguice e doçura, corar com frequência pode dar a ideia de que você é imatura e vulnerável demais. Renata, 25 anos, assistente de compras de uma loja de departamento, se deu conta de que perdeu uma boa oportunidade de impressionar um diretor da empresa quando foi acometida por um tremendo acesso de timidez. “Liguei para a secretária do diretor e, não sei como, quem acabou entrando na linha foi ele”, lembra. “Quando percebi com quem estava falando, fiquei paralisada. Em vez de me concentrar nas palavras, tomei consciência da minha timidez e comecei a gaguejar que nem uma tonta. Meu supervisor notou e, depois, fez tudo para evitar o meu contato com o alto escalão.” Portanto, se você sentir o sangue subindo ao seu rosto, não dê importância ao fato nem faça drama. Tente continuar concentrada no seu trabalho. Quanto mais atenção prestar às bochechas em brasas, mais sua reputação vai arder.

Chorar

“Se você chora em frente do seu chefe, por motivos profissionais, mostra que não tem capacidade de lidar com o stress no escritório”, diz Anne Marie Sabath, autora do livro Business Etiquette: 101 Ways to Conduct Business With Charm and Savvy (Etiqueta no Trabalho: 101 maneiras de conduzir os negócios com charme e bom senso). Além disso, os soluços podem sugerir falta de autocontrole e pôr em dúvida a sua capacidade de representar a empresa. Portanto, para não ganhar fama de uma pessoa que desmorona sob pressão, procure manter uma postura serena.

Acessos de cólera também deixam a impressão de que você não tem domínio de si suficiente para fazer contatos em nome da empresa. Uma maneira de manter o equilíbrio emocional no escritório é desenvolver uma persona profissional que é separada da privada. Eliana, 30 anos, secretária de um laboratório farmacêutico, aprendeu a lição. “Eu vivia chorando no banheiro – porque, cada vez que ouvia uma crítica do meu chefe, jurava que ele me odiava”, conta. “Finalmente, uma amiga comentou que eu investia demais, em termos emocionais, nas pessoas com quem trabalhava. Quando compreendi que precisava separar as coisas, parei de encarar as críticas como um ataque pessoal e deixei de lado a postura carente. Desde então, estou muito mais feliz. E, justamente por causa da aparência estável e equilibrada, acabei sendo promovida.”

Claro que é mais fácil falar do que fazer. Então, que atitude tomar se suas emoções falarem mais alto do que a razão numa reunião? O melhor é guardar todo e qualquer drama pessoal para si mesma. “Não explique e nem tente se justificar”, diz Anne Marie. “Seu chefe não é sua mãe, seu pai ou seu terapeuta.” Experimente respirar fundo, contar até três, pedir desculpas e voltar ao trabalho. Literalmente.

Expressar-se mal

O modo de falar é uma das maiores pistas que as pessoas usam para julgar você. Pela capacidade de expressão as pessoas avaliam tanto sua inteligência quanto sua competência. Portanto, frases deixadas pela metade e repetições do tipo “né?”, “hum” ou “ah” podem comprometer a sua performance: são possíveis indícios de hesitação ou nervosismo. Tomar consciência do problema. Já é meio caminho andado para resolvê-lo. É importante prestar atenção, também, no ritmo e no tom da voz. Se balbuciar como uma criança, misturando frases, seus colegas e chefes vão tratá-la como uma criança. Se falar pausadamente, vai soar verdadeira, madura e capaz.

Vestir-se inadequadamente

Os especialistas afirmam que devemos nos vestir de acordo com o cargo que almejamos, não com o que temos. Ou seja, de manhã, quando abrir seu armário, pergunte-se: “Será que minha chefe usaria isso?”. Pensando assim, vai misturar peças clássicas e fugir de escolhas extravagantes. Afinal, acima de tudo você quer que seus colegas de trabalho prestem atenção nas suas ideias. Se roupas conservadoras não fazem o seu gênero, não entre em pânico: aparência profissional não quer dizer visual careta. Usando o bom senso, jogue acessórios que quebrem o ar sério. “Quando fui trabalhar numa firma de advocacia, adotei uma saia e blusa, porque era o que minhas colegas usavam”, conta Karen, 27 anos. “No começo, me senti péssima. Mas, aos poucos, fui incrementando esse visual sem destoar do ambiente.”

Sentir medo do palco

Se você gagueja, sua frio e treme quando fala em público, é hora de tomar uma providência. Hoje, a capacidade de comunicar-se bem – seja numa reunião entre os colegas de trabalho, seja numa grande palestra – é uma das habilidades mais valorizadas no mercado. Segundo os experts, o medo do palco, entre outras coisas, significa excesso de energia não canalizada. Nesse caso, uma boa ideia é gastar parte dela em atividades físicas, como uma caminhada, antes da apresentação. Se não for possível sair do escritório, você pode tentar liberar a tensão, durante o evento, com pequenos gestos, como fechar as mãos, comprimindo os dedos contra as palmas, ou apertar as fichas de anotações com força. Outro método que costuma trazer alívio: uma boa gargalhada. Então, vale a pena conversar com uma amiga divertida pouco antes de subir ao palco. Além disso, é claro, ajuda muito preparar-se para a exposição, ensaiando em frente ao espelho. Caso seja convocada na última hora, anote os pontos cruciais e concentre-se neles.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s