Aprenda a ter orgasmos múltiplos

Prazer multiplicado? Queremos!

Os orgasmos múltiplos são como o ponto G: algumas pessoas acham que são um mito ou que não existem. Por isso, a COSMO britânica resolveu falar com duas pessoas que sabem bastante sobre orgasmos: uma médica e uma especialista em sexo — para desvendar o que eles realmente são, por que acontecem e como tê-los.

O que exatamente são orgasmos múltiplos?

Anota aí:  Annabelle Knight, especialista em sexo da empresa Lovehoney, descreve um orgasmo múltiplo como “Um orgasmo realmente longo, ou dois ou três seguidos.”.

 

Todos podem tê-los?

Segundo Annabelle, uma pesquisa da Lovehoney com 4.400 pessoas descobriu que 75% das mulheres que participaram tiveram orgasmos múltiplos em suas vidas. É muito mais fácil para as mulheres tê-los do que para os homens. “Como o orgasmo envolve aumentos na circulação, frequência cardíaca, respiração, atividade cerebral e espasmos musculares, o período refratário (quando os órgãos genitais não respondem à estimulação) após o orgasmo serve como um meio natural de trazer suas funções corporais de volta às suas linhas de base”. Annabelle diz. “Na vagina é que seus períodos refratários são muito mais curtos do que aqueles que têm um pênis. O clitóris geralmente precisa de apenas um ou dois minutos antes que possa lidar com mais estimulação”.

 

Como tê-los?

Como a clínica geral americana do MedExpress, Claire Morrison,  explica, há muitos fatores que contribuem para ter um orgasmo múltiplo. “Quanto mais excitada a pessoa está, maior a probabilidade dele acontecer. Isso ocorre porque a excitação forte causa mais fluxo sanguíneo nas genitais e torna as zonas erógenas mais sensíveis”, diz ela. “Também é mais provável quando a pessoa não está estressada ou cansada, e é importante ter bastante tempo para que não haja pressa.”

  • Concentre-se na jornada, em vez do objetivo final:

“Não ajuda muito se concentrar em ter orgasmos múltiplos, quanto mais contá-los”, acrescenta Claire. “Você precisa estar em um estado mega-relaxado, sem foco, em vez de tentar alcançar qualquer objetivo específico”. E Annabelle concorda: “Muitas mulheres tem o potencial de serem multi-orgásmicas, mas podem haver barreiras. Esses obstáculos são muitas vezes mentais, como colocar muita pressão em si mesma para que isso aconteça’.

  • Tenha uma construção lenta:

“Você tem uma chance maior se já tiver estímulos externos”, diz Annabelle. “Música, velas, massagem, filmes. Construa sua energia sexual antes que outra pessoa te toque”.

  • Provoque:

Só depois que seu corpo estiver respondendo a estimulação externa, você deve passar para a genital – mas evite a penetração para começar. “Ao mirar em orgasmos múltiplos, muitas vezes é mais eficaz para uma mulher ter seu primeiro orgasmo através da estimulação clitoriana direta”, explica Annabelle. “Isto é melhor conseguido com um vibrador, ação oral ou manual.”

  • Continue a excitação após o seu primeiro orgasmo:

“Depois do primeiro orgasmo, tudo se resume à experimentação”, diz Annabelle. “Se o seu clitóris é tão sensível que você não pode tocá-lo, estimule o resto do corpo. Tente diferentes tipos de estimulação – brincar com seus seios, ou fazer seu parceiro te beijar em todos os lugares, exceto o clitóris. O ponto é continuar o prazer de qualquer forma que for melhor para você. Você pode voltar ao clitóris quando se sentir pronta”.

Os diferentes tipos de orgasmo múltiplo

  • Clitoral:

“Repetidos orgasmos clitorianos são mais propensos a ocorrer com pressão direta e movimentos contra o clitóris”, explica  Claire. “Isso é algo que pode ser alcançado pela masturbação, ou por posições sexuais que estimulam o clitóris — como ficar por cima, por exemplo.”

  • Ponto G:

Sim, o ponto G existe! “É uma zona erógena situada de  2 a 3 cm dentro da vagina, na parte da frente, e é rica em terminações nervosas e vasos sanguíneos”, diz a médica. “É mais provável que os orgasmos do ponto G sejam múltiplos se você explorar o nível de excitação existente logo após o primeiro orgasmo, idealmente dentro de 30 segundos”, diz. Ou, claro, você pode usar um vibrador no ponto G.

  • Ponto A:

“Esta é outra zona erógena, na parte de trás da vagina, no alto”, diz Claire. “É uma área importante para os orgasmos múltiplos, porque ao contrário de outras zonas erógenas, o ponto A não tem um período refratário. Ele fica pronto para ser estimulado o tempo todo!” Penetração profunda é a melhor maneira de alcançar essa área, ou pode ser estimulada muito bem através do sexo anal. Mas, na verdade, trata-se apenas de descobrir o que é bom para o seu corpo!

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s