Experts em paquera ensinam a conquistar os homens

Siga o exemplo de 9 garotas ousadas que criaram estratégias de sucesso para fisgar o homem da vida delas

Alexandra trancou (de propósito!) a 
chave dentro do carro, para não ter 
como ir embora. Resultado: passou 
a noite com Renato
Foto: Getty Images

Quando você encontra um gato de deixar a perna bamba, tudo o que pede aos céus é que a paquera vire logo namoro, certo? Como sabemos que essa transformação mágica pode levar meeeses para acontecer, às vezes lançamos mão de truques para acelerar um pouco o processo…

Veja a seguir nove mulheres que colocaram em prática artimanhas audaciosas e acabaram descobrindo que alguns planos não eram tão secretos ou necessários assim!

Tática 1: dificuldade máxima 

Talita, 25 anos, e Carlos, 26, juntos há cinco meses.

Talita – As mulheres costumavam se jogar em cima do Caco. Então, apostei em outra tática. Por um mês, toda vez que ele tentava me beijar, eu virava o rosto.

Carlos – Era muito frustrante!

Talita – Ele foi se tornando cada vez mais persistente. Até que, certa noite, me encostou contra a parede e me agarrou sem que eu pudesse me esquivar.

Carlos – Tanta dificuldade me deixou muito excitado. Não sei como teria agido se ela fosse mais aberta às minhas investidas, como as outras garotas com quem já saí.

Tática 2: paixão pela bola 

Tania, 33 anos, e Rafael, 32, juntos há dois.

Tania – No nosso primeiro encontro, fingi que amava futebol. Queria que o Rafa achasse que eu era a mulher ideal (leia-se: que curte passar o domingo vendo programas esportivos). Perguntei aos rapazes do escritório como andava o Campeonato Brasileiro, até decorei nomes de jogadores para a história ficar mais real.

Rafa – Não acredito! Agora estou percebendo que jamais assistimos a um jogo juntos!

Tania – Lá no fundo, nunca aguentei ficar em frente à tevê os 90 minutos da partida.

Rafa – Sorte sua não ter me falado nada antes. Um dos meus pré-requisitos para uma garota se tornar minha namorada é que ela goste de esportes. Assim não ficaria me aborrecendo quando quero ver os jogos. Se bem que isso você nunca fez…

Tática 3: tia imaginária 

Erica, 21 anos, e Alberto, 23, juntos há 11 meses.

Erica – O Beto e eu andávamos conversando pelo Orkut, mas eu temia que a paquera esfriasse por causa da distância: moramos a seis horas um do outro. Acontece que tinha certeza de que meu amor se apaixonaria por mim se me visse pessoalmente. Então, inventei que estaria nas redondezas dele para visitar minha tia – apesar de não ter nenhuma por lá.

Alberto – Eu me lembro dessa conversa… Eram 2 da manhã e, quando revelei que não tinha planos para o fim de semana, Erica de repente comentou que viria até a minha cidade. Pareceu mesmo muito suspeito.

Erica – Simplesmente peguei um ônibus e apareci! Disse ao Beto que tinha estado com minha tia enquanto ele trabalhava. Quando meu homem terminou o expediente na loja (é vendedor de uma grife de jeans), passamos uma noite deliciosa. Verdade que eu não imaginava o que faria quando chegasse a hora de voltar para a casa da minha querida e inventada tia. Por sorte, Alberto sugeriu que eu dormisse em um hotel perto da casa dele – uma vez que ficamos batendo papo até alta madrugada. E eu o convidei para ir comigo!

Alberto – Essa boba não precisava inventar uma história mirabolante dessas. Eu também estava louco para conhecê-la. Sabia que era a mulher da minha vida assim que coloquei meus olhos na Erica.

Tática 4: rivalidade esperta 

Mila, 24 anos, e Fabio, 22, juntos há um ano e meio.

Mila – Eu e o Fabio já tínhamos saído algumas vezes. Eu estava louca por ele, mas não sabia se era correspondida. Certa noite, uma de minhas amigas me ligou de um bar onde estava uma turma – incluindo um cara que me paquerava. Eu dei um pulo lá com o Fabio fingindo que não encontraria o pessoal e torci para o rapaz que tinha uma queda por mim fizesse o meu amor sentir ciúme.

Fabio – Honestamente, nem sequer vi quem estava no bar. Eu só tinha olhos para a Mila!

Mila – Achei que meu plano tinha funcionado em um nível subconsciente [risos].

Fabio – Talvez. Mais tarde fomos ao cinema e eu a beijei pela primeira vez, lembra?

Tática 5: promessa das arábias 

Gisele, 21 anos, e Alexsandro, 28, juntos há seis.

Gisele – Em todas as festas que via o Alex, ele dava show. Era um dançarino nato. Para impressionar o gato, inventei que fazia aulas de dança do ventre. Ele se encantou e quis ver as evoluções na mesma hora. Inventei uma desculpa e prometi demonstrar no encontro seguinte. Começamos a namorar e continuei engabelando o moço. Até que decidi comprar pela internet um vídeo para aprender os passos básicos.

Alexsandro – Não desconfiei de nada e fiquei louco para apreciar essa dança tão sexy.

Gisele – Minha primeira performance foi desajeitada, mas o fato é que, depois de seis anos de namoro, nos casamos! Na lua-de-mel, ainda arrisquei uma coreografia…

Alexsandro – Fico feliz em saber que a Gisele se esforçou tanto para me conquistar. Mesmo que não soubesse dançar, ela seria a mulher da minha vida.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s