15 comentários sobre cabelos que as negras estão cansadas de ouvir

Sério, não reproduza este tipo de pergunta. Por favor.

 

1. É tudo seu? 

Talvez sim, talvez não. Não é da sua conta e é grosseiro perguntar. Aliás, esta pergunta se aplica a outros tipos de cabelo? Existem mulheres com fios de diferentes texturas de todas as raças, pessoal.

2. Você consegue pentear? 

Uma forma estranha de sugerir que não há possibilidade de “domesticar” toda esta rebeldia em cima da minha cabeça. Mas, sim, é possível – e cada mulher deve encontrar o melhor jeito de lidar com os próprios fios. Fica a dica: cuidado para não soar ignorante com as perguntas.

3. Você lava seu cabelo? 

Sério? Rude. E claro que sim!

4. O que você faz para que ele fique assim? 

Depende do que você quer dizer com o “assim”. Se você está se referindo à forma volumosa e cheia de espirais que é como os fios nascem naturalmente, então a resposta é “nada”. Eu apenas deixo que cresça e seja fabuloso à sua maneira.

5. Por que seu cabelo não é igual ao da [nome da celebridade negra]? 

Porque somos pessoas diferentes com combinaçãos genéticas diferentes e, mais óbvio ainda, com jeitos diferentes de cuidar do nosso cabelo. Dois cabelos naturais nunca serão parecidos um com o outro. Pra que comparar quando você pode encontrar beleza na diferença?

6. Você tem cabelo “bom” ou “ruim”. 

Já é hora de frases assim desaparecerem para sempre. São rótulos que conversam com um padrão eurocêntrico ultrapassado e limitado de beleza que não devemos mais reproduzir. Todo e qualquer cabelo é bom.

7. Você se parece com a…

Não é qualquer nome de celebridade negra que vai funcionar para completar a frase. Todas têm um cabelo lindo, mas nós não somos parecidas. Meu cabelo natural permite que a minha personalidade se destaque. Embora eu possa gostar do estilo de alguém famosa, o fato de os nossos cabelos serem parecidos não me torna parecida com ela.

8. Eu também assumiria meu cabelo se ele fosse igual ao da [nome da personalidade cacheada]. 

A vida é muito curta para se perguntar como seria se você arriscasse uma transformação de beleza ou estilo. A vida é muito curta para usar sempre produtos químicos para alterar a textura do seu cabelo sem nunca realmente conhecer ou gostar do jeito que seu cabelo é ou como ele seria bonito e saudável se você os tratasse melhor. Ao invés de desejar que seu cabelo fosse diferene, por que não aprender a aceitá-lo e amá-lo como ele é? 

9. Você pode nadar? 

Claro! Meu cabelo natural não me impede de nadar ou malhar ou viver!

10 . Você ficaria bem de cabelo liso. 

É basicamente como dizer: “Eu não gosto do seu cabelo como ele é e preferiria que você adotasse um estilo que se aproxima mais dos meus conceitos limitados de beleza.” (Também vale: “Você deveria alisar seu cabelo mais vezes!”) Fico feliz em apenas ignorar qualquer sugestão não solicitada sobre meus fios.

11. Só lavar e pronto?

Então você… não faz nada? Pode ser simples assim – o cabelo natural não precisa ser incrivelmente complicado, ao contrário da crença popular. Mas algumas de nós temos o conhecimento e a habilidade para criar penteados muito legais. A beleza do cabelo natural: versatilidade.

12. Você vai deixá-lo assim para o seu [evento importante]? 

Sim, vou. Não aceito noções ultrapassadas de que o cabelo natural não é “profissional” ou que não posso ir assim ao meu casamento. É minha escolha, minha prerrogativa, e sou linda assim.

13. Dói quando você penteia? 

Eu entendo que meu cabelo é vivo e vibrante, mas você sabe que ele não tem terminações nervosas, certo? Cabelo natural pede certos cuidados, mas se o penteio das pontas à raiz, sem puxar, não há dor envolvida.

14. Se eu deixasse meus cachos como eles são, seria uma bagunça. 

Conversas como esta revelam um tipo de projeção desconfortável. “Fica tão bom em você mas ficaria terrível para mim” geralmente significa, “Acho o cabelo natural e encaracolado bagunçado e despenteado.” Melhor abandonar o diálogo enquanto temos razão.

15. Posso tocar? 

Em primeiro lugar, esta pergunta é bemmm estranha. Em segundo lugar, não. Não sou um bichinho de estimação e nem sei onde você andou colocando sua mão!

branislav ostojic / Thinkstock / Getty Images branislav ostojic / Thinkstock / Getty Images

branislav ostojic / Thinkstock / Getty Images (Reprodução/Think Stock/Getty Images)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s