As obras da Jane Austen que inspiraram Orgulho e Paixão

A mistura é grande e tem tudo para dar certo

Quem acompanha a coluna desde os primórdios sabe que sou uma fã raiz de Jane Austen. É só eu ter uma oportunidade que passo por aqui para falar de algum livro da autora inglesa — ou obras relacionados a ela. Por isso fiquei animadíssima ao saber que a nova novela das 18h da Globo, Orgulho e Paixão, é inspirada nessa grande romancista.

Então vamos lá, livro por livro. Nós sabemos que Nathalia Dill faz o papel de Elisabeta, o equivalente a Lizzie de Orgulho e Preconceito. Quem leu sabe bem como se comporta minha personagem preferida da ficção (ao lado da Hermione): uma mulher determinada, que luta contra os padrões machistas e patriarcais da sociedade. Ao lado dela, Thiago Lacerda é Darcy (autoexplicativo). O casal já se ama/odeia desde o comecinho da trama. E, olha, que se formos comparar a novela ao livro, está no comecinho mesmo! Já que nos capítulos de sexta e sábado (23 e 24 de março) eles estão cuidando de Jane, que pegou uma gripe após tomar chuva indo visitar Camilo (Maurício Destri) — ou como diria Austen, Mr. Bingley.

O que nos leva para o segundo livro narrado na novela: Razão e Sensibilidade. Sim, temos uma Mariana em cena. Chandelly Braz faz o papel da mulher que é romântica e que rejeita o amor de um homem mais velho e se apaixona por Diogo Uirapuru, personagem de Bruno Giossoni.

Ainda entre as obras narradas tem Emma, aquela que quer casar as amigas, mas não necessariamente se casar. Quem vive a personagem na novela é a Agatha Moreira. Apesar das histórias de Austen não se cruzarem, na TV Elisabeta e Emma são melhores amigas.

Por último, duas obras pouco conhecidas. Lady Susan é conhecida como a “vilã” de Austen. Na trama na inglesa, ela é uma viúva dissimulada e manipuladora, quer consegue, com o poder do discurso, convencer que não passa de uma coitada enquanto maltrata os outros. Quem a vive nas telinhas é Alessandra Negrini, que de fato, é a malvada da história. A outra é A Abadia de Northanger, que tem Cecília (Anajú Dorigon) no lugar de Catherine.

Ufa! É muita obra para uma novela só. Pra curtir em dose dupla, por que não começar a ler esses livros enquanto se diverte com a trama da TV?

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s