#ClubedoLivroCOSMO – Conheça a história do Coringa em “A Piada Mortal”

Jared Leto colocou o vilão do Batman novamente em foco com sua atuação em “Esquadrão Suicida”. Mas o que o fez se tornar tão mau assim?

 

Vocês já devem ter percebido que estou em uma fase de quadrinhos, considerando que já falei de muitos por aqui. Mas, quando decidi começar esse tipo de leitura, queria ter em mãos uma história emblemática e que fizesse com que eu me apaixonasse pelo formato. Foi assim que sai da livraria com A Piada Mortal na mão. Logo na capa do livro tem um comentário de Tim Burton que diz: “Eu adorei. É o meu favorito. O primeiro gibi que gostei”. Pelo jeito eu estava no caminho certo…

Pode me julgar, mas não sou muito fã do Batman. Acho que ele é um cara rico e entediado que decidiu ajudar a resolver uns crimes por falta do que fazer. Só que nunca tive nada contra o Coringa. Queria saber o que aconteceu em sua vida para que ele se tornasse esse vilão tão marcante. A resposta para essa pergunta é simples: a ganância, o desespero e um dia ruim.

Ele era só um cara comum, com uma mulher grávida em casa, querendo ter sucesso na vida como comediante. Na tentativa de ganhar um dinheiro fácil, e em um dia que perdeu sua família (sua esposa morre), o cara se misturou com bandidos e resolveu cometer um crime – assaltar uma fábrica de podutos químicos. De capacete, ele caiu em um esgoto tóxico tentando fugir. Saiu da água já transformado. Previsível, eu sei. Mas é legal ver isso tudo acontecendo em quadrinhos. E claro, esse é só um flashback na história. Tem muito mais ação e emoção do que isso em A Piada Mortal.

Depois disso o personagem evoluiu e muitas outras coisas aconteceram. Inclusive seu tão falado relacionamento com a Arlequina — que surgiu na trama em um desenho animado na década de 80. Enfim, por trás de um vilão existe sempre uma história: ele pode ser ter tido um dia ruim, caído em uma mistura química que deu errado ou o tal cara já ter nascido com essa maldade. E se você gosta de ler (e assistir) a briga entre o bem e o mal, é sempre divertido descobrir onde tudo começou. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s