Descubra o que significa a falsa autoestima

Por trás de likes e muito carão pode morar uma pessoa nada confiante. A falsa autoestima é uma máscara para esconder uma necessidade de aprovação externa.

Amiga, vamos conversar sobre autoestima real/oficial? Aquela qualidade que nos faz gostar da gente mesma, se valorizar e ter amor-próprio… Se você está em dia com a sua, entende que é um sentimento que independe da aprovação alheia. Você se ama e ponto, sabe? Se é uma dessas, parabéns! Sentir-se bem na própria pele não é um caminho fácil. E, enquanto alguns buscam a terapia, o autoconhecimento e a aceitação para descobrir como gostar de si, muitos buscam um caminho tortuoso: a falsa autoestima.

É um pouco difícil identificar quem “sofre” desse mal. Afinal, é justamente o tipo de gente que parece estar sempre bem, mesmo quando é demitida ou leva um fora da pessoa de quem está a fim — e ainda solta um “Quem perdeu foram eles!” —, quando, no fundo, quer chorar com o coração partido, o que seria normal, aliás. Em um mundo que não para de nos jogar na cara (e no feed!) várias selfies com pele perfeita, corpo malhado e roupas grifadas, muita gente acaba por também querer fazer parte dessa onda de aprovação. Daí você não espera nem cinco minutos para postar a melhor foto que tem, mesmo estando em casa, toda desarrumada e um pouquinho pra baixo. Essa máscara fake de supervalorização é tipo uma foto cheeeeia de retoque que foi show de likes no Instagram. Nada adianta se quando se vê no espelho só enxerga as olheiras, as celulites, o frizz do cabelo e não gosta do que vê. Quem tem falsa autoestima na verdade tem é autoestima baixa — mas esconde muito bem e põe um filtro na relação sincera que deveria ter consigo mesma. “Todo ser humano tem uma necessidade de aprovação, que nos leva a uma insegurança, e, com o acesso às redes sociais, essa cobrança vai aumentando cada vez mais”, diz a psicóloga comportamental Letícia de Oliveira, de São José dos Campos (SP). Não se baseie em tudo o que vê nas redes sociais: aquela musa fitness usa muitos efeitos nas fotos perfeitas que posta todos os dias. Isso sem contar os influenciadores que se hospedam por um dia em hotel chique mas levam vários looks e fazem fotos para postar depois e fingir que ficaram uma semana. Sim, isso existe.

 

Quem é você?

Um dos primeiros sinais da falsa autoestima é a criação de um personagem para dar conta da vida que (acha que) precisa mostrar às outras pessoas. Digamos que você pense que seus pares na empresa em que trabalha são mais inteligentes que você. Bater uma insegurança seria normal, mas, em vez de refletir sobre a situação, se volta para outras formas de se destacar. “A falsa autoestima vai fazer com que essa pessoa tente suprimir essa insegurança indo atrás em outra área. Então, ela vai começar a malhar, por exemplo — ficar com o corpo sarado para compensar essa fragilidade”, diz a psicóloga Paula Emerick, do Rio de Janeiro. Já que acredita que não pode ser tão inteligente quanto o resto do pessoal, pelo menos vai ter um corpão. Pouco assunto rolará além da quantidade de peso que ela pegou no último treino. E dá-lhe surra de tanquinho! Vai parecer que tem uma autoestima gigante, mas infelizmente é só uma defesa. “Esse tipo de pessoa apresenta supervalorização em uma área. Não é que simplesmente ela é boa nesse aspecto, mas pega aquilo como uma compensação.

Tem gente, por exemplo, que acaba virando workaholic, compensa na vida profissional o que às vezes não tem na vida pessoal”, diz Paula. Quem convive com alguém assim vai receber indiretas. Mas qualquer sugestão virá acompanhada de um pequeno insulto. Esse é outro sinal: a arrogância. “Ela acaba colocando os outros pra baixo para conseguir se convencer de que é melhor”, diz Letícia.

 

Menos é mais

Sua relação consigo mesma pode atrapalhar em várias vertentes da vida. Até sua conta bancária é prejudicada. É inevitável: você começa a gastar mais para conseguir ter/preencher/ser tudo o que acredita que as pessoas esperam de você. Compra o celular da última geração, as roupas mais caras, frequenta lugares hypados para se sentir incluída. O relacionamento com os mais próximos também tende a ficar fragilizado. “Em um ambiente onde certa pessoa se sente o tempo todo inferior, ela só vai falar dessa área da vida que utiliza para se compensar”, diz Paula. Sabe aquela colega que desde o momento em que senta na mesa do bar até o instante em que entra no Uber só fala de si mesma? Ô chatice! Quem fala demais de si quer confete e atenção, um claro sinal de baixa autoestima. Irônico, né?

 

Seja 100% você

A melhor forma de combater algo falso? Com um choque de realidade! “Ter intimidade com pelo menos uma pessoa na vida é um dos segredos. Quando você é você mesma com alguém, nem que seja uma pessoa só, isso te ajuda a ver como gostam da sua companhia”, explica a psicóloga Letícia de Oliveira. Se reconhecer (de verdade) pelos olhos do outro vai ajudar a se assumir de maneira mais honesta. Não adianta pedir elogios por estar bonita se você sente falta que alguém lhe diga que é inteligente, sabe? Sustentar um personagem tem data de validade  e em algum momento gera sofrimento. Reconhecer suas fraquezas e imperfeições e saber que todo mundo tem as suas é a melhor forma de se amar por inteiro. E de verdade.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s