Faculdade da USP abre sindicância contra ‘ranking’ que expõe intimidade sexual de alunas

A lista estava pendurada em local de grande circulação, para todo mundo ver (!)

Um cartaz ofensivo tornou pública a cultura de discriminação em universidades com uma espécie de ‘ranking’ da vida sexual das alunas da Esalq, campus da USP em Piracicaba (SP). As informações listadas traziam conteúdo considerado racista e machista, e destacavam características das estudantes e o número de pessoas com quem teriam mantido relações. 

A universidade informou que vai apurar o caso e abriu uma sindicância interna. A Esalq foi uma das unidades da USP que mais recebeu críticas e denúncias durante a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigou casos de violação aos direitos humanos em universidades paulistas, no início deste ano.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s